Capa | Biografia | Livros | Oficinas | Atividades Sugeridas | Agenda | Notícias | Fotos | Links

Textos

A Estante Azul

Chegou o dia tão esperado. Demorou um pouco mais no banho, vestiu-se, olhou-se e gostou do resultado refletido no espelho. Os cabelos foram penteados com cuidado e o topete caprichosamente ajeitado com gel. Antes de sair, recolheu um livro que estava sobre a cama e o arrumou na estante que ganhara de presente. Olhou-a, embevecido.

Durante alguns minutos, ficou absorto nas lembranças. Seu pai ficara dois finais de semana em meio a parafusos, tábuas e tinta. No primeiro, observara-o pintar as tábuas; no segundo, ajudara-o a montar as peças na parede do quarto. Parece ouvir a voz a dizer-lhe: “Pronto. Agora é com você.” Recordou-se que, depois de o pai ter acabado a construção da estante, por alguns dias esquecera-se da bicicleta e ficara no quarto organizando os livros e admirando cada prateleira. Suspirou fundo, orgulhoso. Pegou a mochila e saiu.

Chegou meia hora antes do início das aulas. Vestia o uniforme carinhosamente arrumado pela mãe. Naquele início de tarde não quis brincar de pega-pega como sempre fazia, não queria ficar desarrumado, preferiu sentar e aguardar. Estava um pouco ansioso, aquele era um dia especial.

Finalmente, ouviu o sinal de entrada. Os passos rápidos, sorriso e olhos brilhando eram o retrato da felicidade. Feita a chamada, dadas as recomendações, a professora informa: “Vamos! O ônibus chegou.” “Oba!” Parecia que anteriormente havia sido ensaiado um coral de vinte e cinco vozes em uníssono, felizes e cheias de energia.

Quando chegou à praça, a imagem das barracas de livros transportou-o a um mundo mágico. Planejara a compra de livros na Feira do Livro, como já vinha fazendo há três anos, desde o dia em que se deparou pela primeira vez com aquele universo alegre, colorido, enfeitado com bandeirolas e com cheiro de histórias, aventuras, personagens, autores, vida.

Percorreu todas as barracas, manuseou livros, perguntou preços. Discretamente olhou na carteira. Com o valor que havia economizado, mais o que seu pai lhe dera naquele dia, poderia comprar quatro dos livros que havia gostado. Ajeitou-os com cuidado na sacola, pediu à professora o favor de cuidá-los, pois queria desfrutar dos outros atrativos daquela tarde especial.

Voltou para casa feliz e já projetando algumas ações. Os livros que comprara não eram suficientes para saciar a sede de leitura e de conhecer os universos apresentados em cada um. Decidiu que, no decorrer do ano, faria muitas visitas à biblioteca da escola. Para aumentar a sua biblioteca particular, que agora tinha uma estante azul, economizaria a mesada e voltaria na próxima Feira do Livro.

Maria Inez Flores Pedroso
08/09/2014

 

 


 


Site elaborado pela wwsites - sites para escritores